15/06/2018 00h 00 Notícia

Crefono 4 alerta população sobre cuidados com audição ao soltar fogos

Fogos e música alta podem ser os vilões no período de São João
Por: Assessoria de Comunicação do Cefono 4

icone facebook icone twitter icone gplus icone whatsapp

O mês de junho é especial para o Nordeste por conta do São João, uma das festas mais aguardadas da região. É tempo de muito forró, comidas típicas e diversão. Mas é preciso ficar atento à saúde auditiva para curtir os 30 dias de festejos juninos sem maiores problemas. Principalmente devido à utilização dos fogos de artifício e o longo tempo exposto à música alta, que podem se tornar vilões neste período.

Por conta do risco dos prejuízos causados à audição durante as festividades de São João, o Conselho Regional de Fonoaudiologia 4ª Região, com sede no Recife/PE, orienta a população para os riscos ao ouvido. Com atenção ainda mais especial para as crianças, que podem sofrer danos auditivos maiores.

As explosões de fogos de artifício, rojões e bombinhas podem causar efeitos nocivos à saúde auditiva. A exposição a este forte ruído pode levar a perda de células auditivas, perfuração do tímpano, sensação de zumbido, além do risco de queimaduras durante a utilização dos fogos.

O zumbido pode surgir durante ou após a exposição da pessoa a altos níveis sonoros. Podendo durar horas ou dias, a depender da lesão imposta ao ouvido por essa exposição indevida e pode ser um indicativo de perda auditiva. Por isso, os cuidados devem ser mais redobrados com as crianças.

“Os fogos de artifício provocam fascinação em muitas crianças, então, mais importante do que proibir, é tomar os cuidados necessários para o seu bom uso. Os pais devem atentar para o tipo de fogos de artifício que as crianças manuseiam, já que alguns trazem risco não só auditivo, mas para a saúde geral, como queimaduras. Além disso, é importante que sempre haja um adulto por perto para garantir o uso dos fogos com segurança", lembra o fonoaudiólogo membro da Comissão de Audiologia do Crefono 4, Wagner Teobaldo.

Uma dica importante é utilizar um protetor auricular. Outro conselho é fazer intervalos de dez minutos do barulho, a cada 30 minutos. Assim, o ouvido tem tempo para se recuperar. Mas, em caso de zumbido ou a sensação de abafamento por mais de três dias, a recomendação é não se medicar e procurar um otorrinolaringologista para verificar se houve alguma lesão.

"Além das já mencionadas queimaduras, que apresentam risco de morte a depender da sua extensão, os fogos de artifício podem produzir trauma acústico, que é uma perda auditiva, causada por um ruído único de forte intensidade. Esse distúrbio auditivo é irreversível, ou seja, não retorna mais para a normalidade e pode causar zumbido e dificuldade de compreender a fala dos outros. Sem contar que, com essa explosão, pode acontecer o rompimento do tímpano e a desarticulação de três minúsculos ossos do ouvido (martelo, bigorna e estribo), cuja reconstrução é cirúrgica, realizada pelo médico”, alerta.

MÚSICA
A música que anima as festas juninas também pode ser vilã, no caso de exposição a altos volumes. O nível de som suportado pelo ser humano, sem que isso lhe cause prejuízo ao aparelho auditivo, gira em torno de 80 decibéis, dependendo da intensidade e do tempo de exposição. Em festas abertas, pátios de forró, a música geralmente costuma ser mais alta. É aconselhável uma distância de pelo menos 10 metros da fonte sonora (bandas, caixas de som e/ou trio elétrico).

"Nos shows, tão comuns nas festas de São João, as caixas de som do palco podem produzir 110dB ou mais. Ou seja, tem um potencial enorme para provocar perda auditiva e zumbido episódicos ou irreversíveis. Desta forma, recomenda-se que não fique próximo às caixas de som para preservar a sua audição e poder curtir o São João de forma segura por muitos anos", completou Wagner Teobaldo.

Sintomas da Perda de Audição
A pessoa que está com perda auditiva geralmente apresenta:
Dificuldade de compreender o que os outros falam;
Dificuldade de localização sonora;
Necessidade de aumentar o volume do som ou da TV frequentemente;
Dificuldades para entender uma conversa ao telefone ou celular;
Dificuldades de entender as palavras quando há mais pessoas falando ao redor.

>> Últimas Notícias

Parceiros
anterior
próximos
Copyrigth @ 2013 Conselho Regional de Fonaudiologia - 4º Região
Agita Comunicação