05/08/2020 00h 00 Notícia

A Fonoaudiologia no tratamento clínico da obesidade e da cirurgia bariátrica

Por: Assessoria de Comunicação do CFFa

icone facebook icone twitter icone gplus icone whatsapp

Publicado na segunda-feira, 27 de julho, o Parecer CFFa nº 47 dispõe sobre a atuação do Fonoaudiólogo no Tratamento Clínico da Obesidade e da Cirurgia Bariátrica. Elaborada pela Comissão de Saúde do Conselho Federal de Fonoaudiologia (CFFa), a publicação aponta que o acompanhamento fonoaudiológico é fundamental para alcançar os objetivos buscados pelo paciente obeso e bariátrico, possibilitando sua interação nas atividades profissionais e sociais.

A necessidade do fonoaudiólogo na equipe interdisciplinar e multiprofissional de cirurgia bariátrica é justificável uma vez que o profissional é capaz de avaliar e orientar quanto à qualidade e quantidade alimentar, no que diz respeito ao modo de ingestão dos alimentos em cada porção, favorecendo, assim, o equilíbrio nutricional e a interação social frequente em momentos de alimentação.

A Fonoaudiologia, como parte desse processo, tem papel fundamental no processo de adaptação do indivíduo submetido à gastroplastia, independentemente da técnica utilizada. Com a gastroplastia, o indivíduo passa a ter o trato gastrointestinal modificado, alterando o volume ingerido e a velocidade de esvaziamento gástrico, necessitando um aprendizado para o novo modo de alimentação.

O acompanhamento fonoaudiológico é necessário para que a adequação e o retorno das consistências e texturas alimentares sejam alcançados com segurança e eficácia para o melhor aproveitamento dos nutrientes presentes nos alimentos, além de evitar complicações como engasgos, vômitos e estase do alimento, favorecendo, dessa forma, o sucesso bariátrico com a melhora de qualidade de vida do indivíduo.

É também de competência dos fonoaudiólogos a reabilitação das complicações relacionadas à mastigação e deglutição na fase oral da alimentação, tendo como objetivo uma melhor ingesta alimentar do paciente. A freqüência de náuseas e vômitos pode ser evitada ou, ao menos, diminuir, com a presença de cuidados pós-operatórios intensificados, principalmente no que diz respeito às técnicas de alimentação orientadas pelo fonoaudiólogo.

Obesidade, complicações e tratamento

Segundo a Pesquisa de Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), de 2018, do Ministério da Saúde, a prevalência da obesidade voltou a crescer no Brasil. De acordo com o índice, houve aumento de 67,8% nos últimos treze anos, saindo de 11,8% em 2006 para 19,8% em 2018.

A obesidade é uma doença crônica de etiologia multifatorial, influenciada por fatores genéticos, ambientais, emocionais e de estilo de vida, que envolvem comportamentos alimentares, podendo levar ao comprometimento da saúde do indivíduo, devido ao aumento do risco de morte e ao desenvolvimento de várias patologias crônicas e incapacitantes, chamadas de doenças associadas ou comorbidades, como diabetes, hipertensão, hiperlipidemia, apneia do sono, dislipidemia com prevalência de síndrome metabólica, afetando, assim, a qualidade de vida do indivíduo.

A cirurgia bariátrica é ainda o tratamento mais eficaz para pessoas com obesidade mórbida e síndrome metabólica, e o fonoaudiólogo é um dos profissionais que integra a equipe interdisciplinar ou multidisciplinar e acompanha desde o momento pré-operatório até o pós-operatório, atuando na orientação, avaliação, prevenção e reabilitação do paciente, entre suas áreas, principalmente em relação às funções orofaciais de mastigação, respiração e deglutição, fundamentais para o processo de alimentação.

 

Confira o Parecer na íntegra: Parecer CFFa nº 47, de 27 de julho de 2020

>> Últimas Notícias

Parceiros
Copyrigth @ 2013 Conselho Regional de Fonaudiologia - 4º Região
Agita Comunicação